quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

FUTEBOL EM FLORÂNIA


Em 1937, foi criado o primeiro time de futebol dos floranienses. Foi denominado de "Vila Flores Futebol Clube", tendo como diretores o Padre Antônio Avelino e Clementino Araújo. Seus componentes usavam calção branco e camisa branca com listras azuis. A equipe era formada por João Grande, Zé de Bento, Oscar Freire, Rubens Freire, Inácio Bulandeira, Pereirão, Chico Moquinho, Zé Freire, Nozinho Pereira e Fernando Juvenal, tendo sido extinto em 1940. O segundo time surgiu em 1945, com o nome de "Esporte Clube São Sebastião". Em 1949, passou a denominar-se "Esporte Clube Humaitá" que foi extinto em 1959. O time contou com a participação ativo dos jogadores: João Bernardo Neto, Eurípedes Praxedes de Medeiros, José Laurentino Cruz, Nozinho Pereira, Vicente Homero, Chico de Benta, Zé de Ana, Sebastião Vieira, João Crisóstomo, Dedé do Ouro, Fortuna, João Grande, Zé Freire, Lero, Zé de Bento, Oscar Freire, Pimenta, Manelão, Júlio Bezerra e Netinho Bobô.

MAIS

PARÓQUIA DE SÃO SEBASTIÃO - FLORÂNIA RN


Aos 5 de abril de 1904, por ato do primeiro bispo da Paraíba (no RN, não havia Diocese), Dom Adauto Aurélio de Miranda Henrique criou a Paróquia de São Sebastião de Florânia. Desmembrou-se da Paróquia de Sant'Ana de Currais Novos. O 1. Vigário foi o Pe. Inácio Cavalcanti de Albuquerque. A paróquia originalmente compreendia, além do município de Florânia, os atuais territórios de São Vicente e Tenente Laurentino, desmembrados do primeiro. No dia 26 de setembro de 2004, São Vicente passou a Paróquia, por ato do Bispo Diocesano Dom Jaime Vieira Rocha, tendo como padroeiro São Vicente Ferrer. No município de Florânia, existia a Igreja Matriz de São Sebastião, Igreja do Santíssimo Sacramento, Capela de Nossa Senhora das Graças (Monte das Graças), Capela da Cruz de José LeÃo (Alto Vermelho), Capela de São José (Sítio Condado), Capela de São João Batista (Assentamento João da Cruz), Capela do Bom Jesus Aparecido (Ipueira Cercada), Capela de São José Operário (Jucuri). Em Tenente Laurentino temos a capela de São Francisco (sede do município), Capela de Nossa Senhora da Conceição (Cinco Cantos), Capela de Sant'Ana (Umarizeiro).
FONTE - SITE DA PREFEITURA DE FLORÂNIA

TURISMO

Turismo religioso, rural e cultural, todos com grandes potenciais de desenvolvimento. A Embratur, através de portaria publicada em 28 de novembro de 1997 no Diário Oficial, deu à cidade o selo de município com potencialidades turísticas, “possuidor de recursos naturais expressivos”, serras (Serra de Santana), riachos, cachoeira (durante os períodos de cheia dos rios), lagoa, pinturas rupestres e cerâmicas da pré-história, pedras esculpidas pelo vento, pequenas cavernas, trilhas e um povo hospitaleiro, aliados a um conjunto arquitetônico único no estado.

O que falta para a exploração desses recursos é, primeiramente, estrutura: a cidade é carente de restaurantes – possui duas churrascarias apenas – e hotéis, existindo apenas uma pequena pousada. Por outro lado, isso não deixa de dar um certo charme à cidade, que, mesmo estando aberta para o progresso, ainda mantém a rotina de uma cidadela, onde todos se conhecem.


Florânia não deixa de ser interessante para quem busca roteiros mais irreverentes, como o ecoturismo rural e o turismo de aventura, que encontram palco perfeito entre as serras, à beira dos riachos. Dentre os pontos turísticos, também chamam atenção a lagoa do Livramento, o belo pôr-do-sol da Garganta e o Mirante, que fica em cima da serra do Cajueiro, deste local é possível se contemplar uma grande faixa de terra do estado, pode-se ver o vale do Açu, o Pico do Cabugi, entre Lajes e Angicos, região central do RN e, à noite, consegue-se ver as luzes de vinte e uma cidades.

Caminhando três quilômetros em cima da serra, chegasse ao Pau do Oco, uma Tamboa tão grossa e oca que quando se chovia era possível se tomar banho dentro dela, porém a árvore passou por um processo de deterioração provocado pelos próprios moradores locais que cortaram partes de seu tronco e galhos, já houve até quem tentasse queimá-la para aproveitar sua área no plantio, portanto faz-se necessário uma atitude política em busca da recuperação, preservação e valorização da árvore como patrimônio do municíp

POEMAS

da Simplicidade

Até quando a simplicidade existirá nessa terra
E a paz manter-se-á frente à guerra.
Até quando luz incandescente,
Burro na rua
Árvores dando sombra às redes.

Gente simples sorri
sem ter dentes.

Glauco Gonçalves

Florânia

Florânia das minhas rosas
Rosas, mulheres e flores
Florânia de meus amores
Em auroras radisas

Florânia de minhas cores
Do infra-rubor ardente
Ao ultralilás dolente
Em tardes de risos e dores

Florânia do céu nitente
Onde jardins estrelados
São pajens iluminados
De uma lua opalescente

Florânia meu sonho alado
A cada noite do ano
Num delírio aquariano
Em centúria diantado

Florânia, sublime arcano
Misto de fêmea e de flor
Fascínio de um trovador
Apaixonado e cigano

Florânia, florida, flor
Vinda do seio da terra
Te ofereço nesta acerra
A canção do meu amor

Fiz de meus versos um buquê de flores,
Lindas, mimosas, jeito de mulher,
Obedecendo aos enterdecedores
Raios que brotam do meu bem te quer e
Absolvi tu'alma rosicler e
Naveguei teu lago profundo e
Iluminado de amor fecundo
A ti, Florânia, trago com viver.

Joel Moura, Olinda 1990

Minha cidade

a Florânia


Minha cidade velha, cidade sorridente
Casas cercadas por serras,
Que sorriem para as suas flores
A prefeitura e o prédio mais bonito
A igrejinha branca, um mar de santidade

De um lado e outro, rios a cercam
Sempre periódicos, sempre vazios

Bem de longe, um pequeno monte
Preces, sonhos, promessas, orações
De um lado Santana
Do outro Cajueiro
E assim, mais serra
Mais sertão

Um carro rola pela rua
Movimento a noite, na pracinha
Casais murmuram amores
Nas calçadas, velhotes falam de políticas
E os jovens do próximo baile

Minha cidade velha, tão nova
Que o progresso ainda não arrasou
Que ainda possui crianças brincando nas praças
E andorinhas à tardinha
Tudo cheio de flores
Sino na Ave Maria...
Minha cidade velha, Oh! Cidade minha!

Ana Mª Azevedo

Florânia

Assim a batizaram:
nome singelo,imponente natureza.
Concebida no topo do mundo,
protegida no colo de muralhas naturais.

Escondida em meio ao verde das serras,
caminho conhecido por poucos,
destino oferecido a privilegiados
abençoados a pisar em suas terras.

Onde o tempo insiste em ficar,
passa devagar,nada precisa apressar
pois não é necessário esperar
o agora é o melhor que há.

Povo acolhedor,vida simples;
uma grande família,todos são irmãos,
sempre há lugar para mais um
nunca há lugar para o não.

Não foi preciso destruir,
não há razão em moldar tão bela arquitetura.
Homem e natureza em comunhão.
Aquele que a criou,ao homem sua benção.

Eugênio Paccelli

Eu vejo Deus"

Eu vejo Deus,
No horizonte da tarde que se finda
Eu vejo Deus no céu, na amplidão dos ares
Eu vejo Deus na terra, e no sol que a ilumina
Eu vejo Deus nas ondas mansas que acalenta os mares

Eu vejo Deus
No olhar, no sorriso de uma criança
No velho, no moço, na jovem e na candura
Eu vejo Deus
Na paz, no amor, na esperança
Eu vejo Deus na colina, na fonte e nas alturas
Eu vejo Deus
Na verdade, na alegria,
Na dor e na tristeza
Eu vejo Deus no céu, nas águas, nos pássaros e na flor
Eu vejo Deus em toda natureza
Eu vejo Deus no amor

Mª das Graças P. Cruz

Monte das Graças

Lindo é o ceu
Cheio de luz
Sem noite
Nem sombra

Lindo e o monte
Cheio de graças
Aos romeiros
Irmão e amigo

Voltado para Deus
Juntos
Sempre juntos
Graça de Deus a Nossa Senhora das Graças

Pe Sinval Laurentino

Bela

É uma cidade poética
natureza farta,rios,serras,matas
são belas as ruas
que nos recebe contente
nas tardes nuas
ou encontro do sol poente

onde se esconde segredo de tanta beleza?
dizem é bem ali no nordeste
entre jucurutu´ e são Vicente
ô lugarzinho bom da peste!

olhos que nunca viram
ate´ parece estavam cegos
colibris brincando na urtiga
meu Deus será que vejo isso mesmo?

parece ter radiação
nossa! será que tem mesmo?
ha! mais a água fria nos pés
nos afasta de todo medo

a história diz que a garota se perdeu
dai nasceu Maria Menina
ate parece ser coisa de Deus
ou muita fé ao divino

eu nunca tinha visto um
me falaram é um Tejo
pesquisei sobre ele,
mas a pesquisa não dava certo

cutuquei ate descobrir
e desvendei o mistério
vejam só! mais conhecido por tijuacú
e vive lá no brejo

a essência da felicidade
em faces deslumbrantes
me trás muitas saudades
de uma florânia tão
presente.

Vanielle. 21/05/2003

Florânia novamente

Seguirá comigo
O ouro do poente
Reluzente como toda a Florânia
Maiúscula como as belezas na lembrança

Do mirante do Cajueiro
O céu tem seu reflexo na terra
E as cidades são cruzeiros
Enquanto estrelas invejosas
Lá, brilham mais belas
Pra que um dia seus fachos
Toquem as pontas das serras

No topo do monte
Menina hoje é capela
Talvez sua morte tenha por causa
Alegria de ver cidade bela

A "Flor" em seu nome
Foi plural, foi Flores
Diferente da graça singular
Nas ruas, praças, gente, montes

Da cruz de Zé Leão
À capela de São Sebastião
Desde o Passaribú
Voa majéstico urubu

Em um vôo discreto pelo Seridó
Pela onírica Florânia
Que trouxe consigo
O tom de fantasia do passado
Das Rainhas do Prado,
Que foi lençol
para o leito em que descansa

Glauco Gonçalves

Quem sou eu

Minha foto
Sou o subtenente PM/RN JOSÉ MARIA DAS CHAGAS, natural de Mossoró-RN, pai de quatro filhos e que tem como base principal de vida:AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS" e AMAR AO PRÓXIMO COMO AMO A MIM MESMO"; ÃLÉM DE SER HUMILDADE E ATÉ A PRESENTE DATA NUNCA ECONOMIZEI UM GOTA DE HONESTIDADE. TENHO A MANIA DE ESCREVER, ESCREVER, ESCREVER, DE LER, LER, LER; DE PESQUISAR. COM CINCO BLOGS NA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES, CUJA META FINAL É DE CHEGAR AOS 7 BLOGS E 400 LINKS. SOU 95 POR CENTO TORCEDOR DO BARAÚNAS, O MAIS QUERIDO DE MOSSORÓ E 5 POR CENTO FLUMINENSE.

PODER LEGISLATIVO DE FLORÂNIA

Minha lista de blogs